Busca no Blog

Carregando...

domingo, 11 de março de 2012

Produção de alimentos com água de chuva armazenada em cisternas no Sertão da Bahia




A foto

Nesta fotografia se pode observar uma agricultora da comunidade de Lage Alta ao lado de uma planta de acerola irrigada com água de chuva armazenada em cisterna. A fotografia foi obtida em 6 de março de 2012 na Comunidade de Lage Alta no município de Jaguarari, BA.

O fato

Na região semiárida do Nordeste a falta de água para consumo humano e para produção de alimentos é uma das principais dificuldades dos pequenos agricultores em anos de pouca chuva. A água de chuva acumulada nas cisternas muitas vezes não é suficiente para atender as necessidades das famílias e a suplementação vem dos carros-pipas. Contudo, diversos estudos realizados na região semiárida, demonstraram que embora a quantidade de chuvas que ocorre seja considerada pequena, é possível aproveitar parte de água para produção de alimentos. Assim, o excesso de água de chuva pode ser armazenado em diferentes formas, tais como, cisternas, barreiros, açudes, etc., e utilizada posteriormente para irrigação de diferentes culturas. Neste sentido foi criado pelo
Governo Federal o Programa P1MC para construção de 1 milhão de cisternas para o consumo humano e o Programa P1 + 2 com o objetivo de construir uma cisterna adicional nas residências para que os agricultores utilizem essa água com o objetivo de produzir alimentos. Esses programas conduzidos pela ASA em parceria com outras organizações não governamentais, já construíram muitas cisternas de placas pré-moldadas para atender esse objetivo. Com a água armazenada em uma cisterna de 16 mil litros é possível irrigar até 36 fruteiras (Acerola, manga, mamão, caju, limão e pinha), durante todo o ano. Todavia, o controle dessa água deve ser rigoroso, visto que, a distribuição não poder provocar excesso de consumo. A distribuição recomendada é que nos meses de janeiro a abril seja aplicado 1 litro de água por planta as segundas, quartas e sextas-feiras. De maio a agosto, a aplicação deve ser de 2 litros por planta e de setembro a dezembro de 4,5 litros por planta. Esse maior volume neste período é porque nesta época a região enfrenta uma fase de seca severa. Com essa forma de aplicação o gasto total de água é de 10.368 litros. Se a cisterna tem capacidade para 16 mil litros, sobra água para o começo do próximo ano que normalmente é seco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário